Obervatório Nacional da Actividade Física e do Desporto - APTIDÃO FÍSICA
 
mais.gif SUMÁRIO EXECUTIVO
 

Tendo em vista a concepção e a implantação de estratégias de melhoria da aptidão física e consequentemente da saúde e da capacidade funcional, o Observatório Nacional da Actividade Física e do Desporto procedeu, entre 2007 e 2009, à avaliação da aptidão física e dos valores de excesso de peso e de obesidade (índice de massa corporal-IMC) em 34 488 portugueses de 10 ou mais anos de idade com funcionamento físico independente, de ambos os sexos, em 18 distritos de 5 zonas de Portugal Continental (NUTS II).

A aptidão física foi avaliada por baterias de teste padronizadas, o Fitnessgram na população jovem e a Functional Fitness Test de Rikli e Jones para a população idosa. Na população adulta, atendendo à ausência de uma bateria de testes específica, utilizou-se um conjunto de testes que, na linha de orientação das baterias anteriores, avaliasse capacidades físicas tidas como fundamentais para a saúde das populações, nomeadamente a função cardiovascular, a força, a agilidade e a flexibilidade dos membros superiores e inferiores.

De acordo com os valores indicados para o IMC, pelo International Task Force for the Study of Obesity, no caso dos jovens e pela Organização Mundial da Saúde para os adultos e as pessoas idosas, foram definidos valores de prevalência de excesso de peso e obesidade. De acordo com as normas descritas para as provas de aptidão, foi possível definir os valores percentuais de cumprimento dos critérios estabelecidos, ou seja, definir os níveis de aptidão física da população em estudo.



mais.gif Cerca de ¼ dos jovens (10 a 18 anos) tem excesso de peso e obesidade. Estes valores aproximam-se dos 50% nos adultos e de 75% nas pessoas idosas;


mais.gif A prevalência decresce com a idade nos jovens e aumenta com a idade nos adultos;


mais.gif O excesso de peso e obesidade é superior no sexo masculino. A distribuição é relativamente idêntica para todas as regiões NUTS consideradas;


mais.gif Grande parte dos jovens (61,2%) tem uma aptidão cardiorrespiratória saudável. No entanto, este marcador da saúde cardiovascular tende a decrescer com a idade em ambos os sexos;


mais.gif Cerca de metade dos adultos (48,2%) e das pessoas idosas (54,9%) têm uma aptidão cardiorrespiratória saudável. Tal como nos jovens, com o aumento da idade verifica-se uma tendência para a redução do número de pessoas que têm uma aptidão cardiorrespiratória saudável;


mais.gif Dos participantes com insuficiente aptidão cardiorrespiratória, a grande maioria tem também excesso de peso e obesidade, com excepção do grupo das pessoas idosas;


mais.gif A aptidão muscular dos membros superiores é o melhor atributo da aptidão física nos jovens, nos adultos e nas pessoas idosas;


mais.gif Nos jovens verificam-se resultados muito bons de força abdominal, já que 82,3% se encontra na zona saudável;


mais.gif A força abdominal nos adultos tende a ser reduzida, já que somente 39,8% está na zona saudável;


mais.gif Deve realçar-se a diminuição da força dos membros inferiores nas mulheres idosas, já que representa um marcador de risco para as quedas.
Instituto Português do Desporto e da Juventude, I.P.