Noticias - Actividade física ajuda a aumentar saúde óssea dos adolescentes
Uma investigação do Laboratório de Exercício e Saúde da Faculdade de Motricidade Humana - Universidade Técnica de Lisboa analisou a relação entre a prática de diferentes desportos e a saúde óssea em jovens desportistas. O estudo, agora publicado no «Journal of Strength and Conditioning Research», incidiu sobre 54 crianças e adolescentes do sexo masculino, entre os 9 e os 18 anos.

NotíciasActividade física ajuda a aumentar saúde óssea dos adolescentesData: 10-01-2012   Autor: CiênciaHojeTAGSDesportoOssosCiênciaHoje

Uma investigação do Laboratório de Exercício e Saúde da Faculdade de Motricidade Humana - Universidade Técnica de Lisboa analisou a relação entre a prática de diferentes desportos e a saúde óssea em jovens desportistas.

O estudo, agora publicado no «Journal of Strength and Conditioning Research», incidiu sobre 54 crianças e adolescentes do sexo masculino, entre os 9 e os 18 anos. Em conversa com o «Ciência Hoje», o director da investigação Luís Bettencourt Sardinha explica as vantagens de se praticar certos tipos de desporto nestas idades.

No estudo, "os jovens foram divididos em três grupos. Um era composto pelos que praticavam ginástica, andebol e basquetebol; outro por praticantes de natação e o terceiro por jovens que não praticavam desporto fora da escola", esclarece.

No primeiro grupo verificou-se "uma maior densidade mineral óssea a nível dos membros inferiores". Mais de 5 a 7 por cento de densidade mineral óssea e conteúdo mineral ósseo total, e mais 13 por cento em comparação com o grupo que não praticava desporto.

"A prática de algumas actividades desportivas têm efeito osteogénico devido à carga intensa assídua ou à contracção muscular intensa e externa, como o salto", diz. Muitos dos saltos efectuados pelos jovens que praticam basquetebol ou andebol correspondem a entre 4 a 6 vezes a massa corporal. Na ginástica pode ir até 10 vezes essa massa.

"No que diz respeito à saúde óssea é importante a prática deste tipo de desporto para a prevenção primária a osteoporose", acredita.

O investigador esclarece que "a mineralização óssea acontece de forma rápida nos jovens". As raparigas mineralizam 33 por cento do valor que vão ter na idade adulta dois anos antes e dois anos depois da idade de maior crescimento (aos 11 anos e meio). Nos rapazes isso acontece dois anos antes e dois depois dos 13 anos e meio.

Aos 30 anos, o progresso de perda de massa óssea começa a ser mais intenso, sendo por isso importante a prática de exercícios com impacto ao solo e exercícios de desenvolvimento da força.

Ver notícia: http://descobertas.myusf.com.pt/noticias/actividade-fisica-ajuda-a-aumentar-saude-ossea-dos-adolescentes.aspx

Voltar
Instituto Português do Desporto e da Juventude, I.P.